Close Combat: Gateway to Caen – Análise – Review


Fala pessoal! Finalmente tive acesso ao Close Combat: Gateway to Caen e consegui preparar a análise completa do jogo. Se você não conhece, Close Combat é uma série de jogos de estratégia, passados durante a Segunda Guerra Mundial, com jogabilidade em tempo real, criada na década de 90 e foi uma das principais do gênero durante este período.

Intitulado de “Caminho” para Caen (Região da França), o novo jogo conta a história da maior campanha ofensiva dos soldados ingleses na frança depois do dia D. Você pode escolher entre comandar a defesa dos poucos, porém, fortemente armados alemães Panzergranadiers membros das divisões da Waffen SS ou a ofensiva dos numerosos e bem abastecidos ingleses, que contam com o apoio de blindados americanos. O principal objetivo dos ingleses é alcançar e cruzar o rio Odon, para assim cercar a cidade de Caen.

Clique na imagem e veja uma matéria sobre a ofensiva inglesa

Tropas inglesas a caminho de Caen – 1944

Inicialmente a UI (Interface do usuário) do jogo é interessante, a tela inicial é uma bela pintura de soldados ingleses e os botões e icones em geral são bem feitos e trazem imersão ao jogo. Entretanto, a interface tem um problema. A resolução máxima da tela enquanto estiver fora de uma partida é de 1366×768, sendo assim, o menu pode ficar meio esticado e embaçado caso for jogar em full hd, felizmente, quando entrar na partida, o jogo aceita a resolução full HD e a qualidade fica boa.

Close Combat: Gateway to Caen campanha mostra divisões

Close Combat: Gateway to Caen campanha mostra divisões

Os modos de jogo de Close Combat são interessantes e diversificados. Existe 3 modos de jogo: Campanhas completas sendo históricas, parcialmente históricas e fictícias, “Operações” que são campanhas menores e batalhas isoladas sem uma continuidade. O interessante é que você pode jogar todas as campanhas, operações e missões separadas com um amigo seu no modo multiplayer versus. Durante a campanha e operação, o jogo é similar aos jogos da série Total war e Wargame, você tem um mapa geral da guerra inteira, onde você pode movimentar suas divisões e quando encontra uma divisão inimiga o jogo carrega o modo de combate. Esse modo é excelente, pois permite recriar guerras inteiras com a complexidade de um general e a adrenalina de um soldado.

Visão estratégica do mapa antes da batalha.

Visão estratégica do mapa antes da batalha.

Agora o principal diferencial positivo da série Close Combat é a sua continuidade e nível de detalhe de informações. Quando jogar uma campanha ou operação, o jogo oferece informações completas de cada um dos centenas de soldados que você irá comandar. Como por exemplo: Cada um deles tem um nome único, quantidade de munição, medalhas, atos de coragem e covardia salvos em um log por toda a duração da guerra. Sendo assim, é possível acompanhar o progresso de cada soldado durante toda a campanha. O cenário também fica salvo, por exemplo, se você estiver jogando uma campanha e acabar perdendo um tank em uma esquina, quando for lutar novamente naquele mapa, terá a carcaça destruída de um tank naquela mesma esquina, assim como a casa que foi danificada com a explosão ao lado dele. Com essas funcionalidades, a sensação de continuidade que você está lutando uma guerra de verdade é muito interessante, pois você se preocupa com cada soldado e sabe que tudo que fizer terá um impacto significante no resultado final.

Explosões são intensas em Close Combat: Gateway to Caen

Explosões são intensas em Close Combat: Gateway to Caen

Os gráficos do jogo estão bem interessantes! Apesar de ser uma engine bem antiga, os mapas estão muito bem desenhados, com casas, arbustros e campos gramados muito bem feitos. As animações de explosões e fumaças evoluíram bastante em relação aos jogos antigos da série e atualmente estão demais!  O ponto fraco fica nos tanks que contam com uma animação antiga e “travada”. Se você aceitar isso, a atmosfera geral do jogo é muito legal e totalmente aceitável mesmo nos padrões de hoje.

Close Combat: Gateway to Caen oferece mapas realistas baseados em fotos da época

Gateway to Caen oferece mapas realistas baseados em fotos da época

A jogabilidade de Close Combat: Gateway to Caen é muito mais “paradona” do que jogos atuais da Segunda Guerra Mundial, como Company of Heroes 2 e Men of War. O motivo é que o foco da série é o realismo, sendo assim, os soldados se comportam como humanos de verdade, sentindo medo, cansaço e até se rendem automaticamente caso sejam cercados pelos inimigos. Portanto, para avançar em uma ofensiva, é preciso dar total apoio a suas tropas, usando fogo de cobertura, granadas de fumaça e apoio de artilharia, se não, seus soldados provavelmente entrarão em pânico e irão fugir do combate. O legal é que quando seus soldados estão com medo, eles param de obedecer suas ordens e só voltam caso o inimigo tenha parado de atirar.

Close Combat: Gateway to Caen tem jogabilidade realista

Close Combat: Gateway to Caen tem jogabilidade realista

O som sempre foi um ponto forte da série Close Combat e Gateway to Caen faz juz ao nome e conta com sons de alta qualidade. A série Close Combat surgiu em uma época (década de 90) em que os jogos não tinham como oferecer gráficos incríveis para os jogadores e precisavam pensar em outras formas de oferecer imersão nos jogos. Portanto, prepare-se para sentir o zunido das metralhadoras pesadas alemães ou a explosão dos canhões de alto calibre ingleses em alto e bom som. Além disso, os soldados gritam em pânico e dor durante o calor da batalha.

Close Combat: Gateway to Caen

Close Combat: Gateway to Caen trás a nostalgia da diversão de jogar CC

Conclusão

Se você experimentar Gateway to Caen e procurar mais do que apenas gráficos e doces para os olhos, encontrará um jogo muito interessante de estratégia que conta com diversas funcionalidades que nem jogos com engines mais moderna possuem. A dica que dou é comprar o jogo em dupla, já que jogar com algum amigo deixa o jogo muito mais legal.  Como ele é o último da série utilizando esta engine 2d consagrada na década de 90 e inicio da última década, posso afirmar que Close Combat: Gateway to Caen fecha com chave de ouro esta que foi uma das mais importantes séries de jogos de estratégia de todos os tempos.

Pontos positivos:

  • Diversos modos de jogo, incluindo campanha, operações e batalhas simples
  • Estatísticas de tropas altamente detalhada, é possível saber o nome de cada soldado
  • Cenários persistentes salvam o estrago causado em cada batalha
  • Possibilidade de jogar todos os modos de jogo no modo multiplayer
  • Sons envolventes e muito bem gravados
  • Animações das explosões e fumaças estão muito legais!
  • Possui tutorial interativo

Pontos negativos:

  • Interface dos menus fora do jogo só suporta até 1366×768 de resolução
  • Gráficos podem ser considerados fracos por quem se importa muito com eles
  • Animações dos tanks poderiam ser melhores
  • Lobby do multiplayer pode apresentar alguns problemas
  • Preço um pouco alto para a realidade brasileira

 Nota final: 8.5

Caso tenha gostado da matéria, compartilhe com seus amigos clicando abaixo:



Fundador do site Games de Guerra e viciado em jogos de guerra desde 1996


Valem seu clique:


Deixe seu comentário:

  • O que é o Games de Guerra?

    Blog especializado em jogos de guerra para PC. Aqui você vai encontrar matérias, dicas e downloads de jogos conhecidos e desconhecidos do gênero.



  • Acompanhe o GDG

    • Discord
    • Facebook
    • Youtube

  •