Combat Mission: Red Thunder – Análise completa – Review


Combat Mission: Red Thunder é o novo jogo da clássica série Combat Mission (que vem desde 1999). Nele você pode optar por jogar como russo ou alemão para combater em 1944 na Bielorrússia e Polônia. Apesar de ser fã de jogos de estratégia e principalmente da Segunda Guerra Mundial, nunca tinha realmente parado para jogar Combat Mission. Já testei algumas versões muitos anos atrás, mas problemas de performance e falta de conhecidos para jogar online me desmotivaram a continuar, porém, o novo Combat Mission: Red Thunder pareceu promissor e muito interessante, tinha que testar pra valer.

Combat Mission: Red Thunder é promissor para entusiastas de estratégia

Combat Mission: Red Thunder é promissor para entusiastas de estratégia

Se você nunca jogou nenhum jogo da série Combat Mission, saiba que ela é feita por um time pequeno e vem sendo evoluída desde 1999, sendo assim, não é certo esperar a mesma produção de jogos grandes como Company of Heroes e Battlefield, mas existem pontos que acredito que estão deixando passar por besteira.

Interface não responsiva de  Combat Mission: Red Thunder relembra jogos muito antigos

Interface não responsiva de Red Thunder relembra jogos muito antigos

Por exemplo, a primeira coisa que você irá ver quando abre o jogo é a fraca UI. O menu principal e painel de jogabilidade não preenchem uma resolução maior que 1024, sendo assim, se você for jogar em uma resolução maior, o menu principal do jogo fica como se fosse uma pequena caixa cercada de preto por todos os lados. Os botões e menus em diversas telas são feios e não intuitivos.  Felizmente, o Combat Mission: Red Thunder é aberto para mods e já estão sendo feitos alguns para melhorar a interface do jogo.

Combat Mission: Red Thunder oferece batalhas em tempo real ou em turnos

Combat Mission: Red Thunder oferece batalhas em tempo real ou em turnos

Enquanto me preparava para a primeira batalha, me deparei com uma opção bem interessante, o jogo oferece a opção de ser jogado tanto em tempo real como em turnos. Achei interessante, mas pensei, turnos? Pfft, gosto é em tempo real e assim escolhi para jogar, mas teria uma surpresa pela frente. Joguei o tutorial sem grandes dificuldades, isso porque já conhecia jogos de estratégia com comandos parecidos com os de Combat Mission, como Close Combat, pois o tutorial não ensina nada na prática. São missões básicas e ótimas para entender a mecânica do jogo, mas não espere que o game diga quais botões apertar.

Quantidade de tropas por batalha é incrivelmente impressionante

Quantidade de tropas por batalha é incrivelmente impressionante

Quando comecei a jogar uma das duas campanhas oferecidas pelo jogo (uma alemã e uma soviética), tive aquela surpresa que mencionei anteriormente: a quantidade de tropas esperando o meu comando era incrivelmente realista. A sensação é que você está controlando um comboio militar 1/1 com a realidade. O jogo não permite que você compre mais soldados no meio da batalha, no máximo, você recebe reforços durante o combate, portanto, a batalha já começa com dezenas e dezenas de unidades aguardando seu comando. Foi nesse momento então que entendi a opção de jogar por turnos e acabei voltando atrás e escolhendo ela para jogar a campanha, dessa forma não iria esquecer de dar comandos para nenhuma unidade. Para minha surpresa, o modo de turnos é muito bem feito e agradável de jogar.

Mapas em Combat Mission: Red Thunder são fieis ao leste europeu

Mapas em Combat Mission: Red Thunder são fieis ao leste europeu

A campanha single-player é bem interessante. Não existem vídeos de história nem nada do tipo, mas se você parar para ler o briefing e entender o que está acontecendo, ficará empolgado para jogar. Comecei jogando de alemão e o objetivo era contra-atacar as posições soviéticas para parar o avanço deles na polônia. O jogo oferece um mapa geral da campanha e cada batalha conta com um pedaço dele, dando uma sensação de continuidade a cada batalha travada. Os mapas dentro do jogo são muito interessantes, sendo fiéis ao território real do leste europeu e com proporções também gigantescas. O único ponto negativo é que o mapa possuí um “fim”, então, as pontas do mapa tem um buraco para o infinito. Uma fumaça como uma neblina de combate nas pontas poderia resolver este problema. Além da campanha, o jogo também oferece diversas missões soltas, um gerador de missões rápidas e um editor completo para você criar missões mais complexas.

Tank observa vasto campo em Combat Mission: Red Thunder

Tank observa vasto campo em Combat Mission: Red Thunder

Em relação ao último jogo Combat Mission que joguei, a AI melhorou e muito. Os soldados agora buscam abrigo sozinhos, atacam ao avistar o inimigo e recuam em caso de perigo. Os soldados sentem medo e cansaço, podendo inclusive se render ao serem atacados por uma quantidade devastadora de inimigos. Os veículos possuem sistema avançado de blindagem e os tiros, física de balística real, ou seja, se você atirar com um tank em outro, o jogo irá fazer cálculos complexos para entender qual será o tamanho do estrago. Não existem barras de “vida” nem chaves de fendas que consertam tanks quebrados.

Inteligencia artificial melhorou bastante em relação a jogos anteriores da série

Inteligencia artificial melhorou bastante em relação a jogos anteriores da série

Mas nem tudo é um mar de rosas. Por ser muito realista, Combat Mission: Red Thunder é bem “paradão”. Se você avançar muito rápido irá perder todos os soldados e não poderá comprar mais, portanto, você acaba movimentando as tropas com muito mais precaução, assim como na vida real. Isso pode assustar até os mais entusiastas de RTS que não estão acostumados a ficar mais de dez minutos apenas posicionando tropas.

Red Thunder pode assustar até mesmo jogadores entusiastas de estratégia

Red Thunder pode assustar até mesmo jogadores entusiastas de estratégia

O maior problema em Combat Mission: Red Thunder é a performance. O jogo, apesar de não ter gráficos tão bons, é extremamente pesado e coloca até as máquinas mais modernas para “chorar”. Jogar no máximo? Apenas se tiver a placa de vídeo e processador mais potente do mercado, se não, pode diminuindo este gráfico. O multiplayer do jogo também é muito mal aproveitado. Não existe nem ao menos um lobby para os jogadores se encontrarem, o que dirá um matchmaking. Se você quiser jogar online terá que procurar um adversário no fórum oficial do jogo e então passar seu IP para ele conectar manualmente. Se você tiver um irmão ou colega para jogar na sua casa, porém, o jogo oferece a opção de hotseat, onde dois jogadores podem jogar no mesmo PC em turnos.

Multiplayer é ponto fraco de Red Thunder

Multiplayer é ponto fraco de Red Thunder

Conclusão:

Combat Mission: Red Thunder é um jogo feito para um nicho de jogadores bem específico, é o caso do ame ou odeie. Se você for uma pessoa bastante paciente, que gosta de jogos de estratégia realistas, sem tiroteio frenético como Company of Heroes e Men of War e possuir um computador poderoso, poderá gostar do Red Thunder. O jogo oferece batalhas com um mix de realismo e proporção que você não vai encontrar em nenhum outro, é um jogo único e não um jogo qualquer. Porém, a minha opinião final é que, apesar de ser uma evolução muito grande em relação aos outros Combat Missions, o jogo ainda é muito “não convidativo” para a maioria dos jogadores e precisa melhorar alguns pontos para poder alcançar um público mais abrangente. Combat Mission: Red Thunder pode ser comprado por 55 dólares aqui. Confira o resumo da análise abaixo:

Pontos positivos:

  • Batalhas com proporções gigantescas, sendo quase 1/1 com a realidade.
  • Mapas grandes e fieis ao leste europeu.
  • Sistema de balística realista com cálculo de penetração de blindagem.
  • AI melhorada em relação aos últimos Combat Missions.
  • Campanha interessante.

Pontos negativos:

  • Performance bem ruim. Seu PC provavelmente vai “Chorar”.
  • Multiplayer mal aproveitado, não existe lobby ou matchmaking.
  • Por ser muito realista, pode ser muito “paradão” para a grande maioria dos jogadores.
  • UI (interface dos menus, botões etc)  feia e ultrapassada.
  • Preço muito alto para a realidade brasileira

 Nota final: 7.0
 

Caso tenha gostado da matéria, compartilhe com seus amigos clicando abaixo:



Fundador do site Games de Guerra e viciado em jogos de guerra desde 1996


Valem seu clique:


Deixe seu comentário:

  • André Salemi

    Só para complementar, este jogo não é RTS, é tático, e considera os efetivos (tropas e organização – gc, pelotão, companhia e batalhão) da época em que retrata o jogo, bem como equipamentos e depende necessariamente de conhecer estes equipamentos e as táticas usadas na época – não é um jogo FPS, é para grognards, ou seja, wargamers preocupados com acuracidade.

    • Olá xará. Concordo que este jogo é sim para os que se importam com realidade e acuracidade. Porém, o jogo oferece a opção de jogar em tempo real, logo, pode sim ser considerado um RTS (Real time strategy).

      Um abraço.

  • Pingback: Combat Mission: Red Thunder | Games de Guerra | Jogos de guerra()

  • Pingback: Conheça o novo Combat Mission – Black Sea | Games de Guerra | Jogos de guerra()

  • O que é o Games de Guerra?

    Blog especializado em jogos de guerra para PC. Aqui você vai encontrar matérias, dicas e downloads de jogos conhecidos e desconhecidos do gênero.



  • Acompanhe o GDG

    • Discord
    • Facebook
    • Youtube

  •