Company of Heroes 2: The Western Front Armies – Análise – Review


The Western Front Armies, este é o nome da primeira expansão stand alone de Company of Heroes II e é claro que não poderia deixar de analisá-la. O que é stand alone? Bom, a expansão além de servir como conteúdo adicional para o Company of Heroes 2, também pode ser considerada um jogo a parte, já que pode ser comprada e jogada separadamente. Vamos lá!

Bem vindo ao fronte ocidental, esta é a proposta de The Western Front Armies, que introduz o exército americano em sua ofensiva após o dia D, em 1944 e revive o assunto principal do primeiro jogo da série Company of Heroes. Além disso, o jogo também adicionou o exército alemão do ocidente, que tinha uma postura diferente dos seus camaradas do leste europeu. O jogo conta com novos mapas para batalhas single e multiplayer com locais clássicos do conflito, como as densas florestas de Ardennes.

Tropas americanas se protegem em Ardennes

Tropas americanas se protegem em Ardennes

Ao abrir o jogo, já dá para perceber que a apresentação de The Western Front Armies é muito bacana, conseguindo superar até a já bem feita interface do Company of Heroes 2. Você pode personalizar a tela inicial do jogo escolhendo uma força favorita e, então, o jogo muda o “clímax” para a força escolhida, alterando a tela e a música de fundo. Além disso, os botões, menus e miniaturas são impecáveis e criam uma atmosfera bem interessante para o jogo.

Bela interface e apresentação de Company of Heroes 2: The Western Front Armies

Bela interface e apresentação de Company of Heroes 2: The Western Front Armies

Já em modos de jogo a expansão acaba sendo limitada. Não existem missões especiais no modo “Theatre of War” e  nem uma campanha singleplayer. O jogo oferece apenas o modo clássico de capturar 3 estrelas no mapa, que pode ser jogado coop contra a AI ou versus online, com até 8 pessoas. O total de mapas novos são 9, apesar do jogo oferecer a integração com steam workshop, permitindo que você baixe outros mapas feitos por jogadores.

The Western Front Armies é totalmente voltado para o multiplayer

The Western Front Armies é totalmente voltado para o multiplayer

Os gráficos seguem o padrão de Company of Heroes II e mantém a excelente qualidade. Os novos mapas são extremamente detalhados e contam com variação de clima, podendo ser verão ou inverno, onde até mesmo a pegada dos soldados fica gravada no chão por causa da neve. A animação dos soldados é muito bem feita e passa uma sensação humana, já que as tropas tendem a se movimentar para buscar abrigo e escanear o horizonte por eles mesmos, sendo assim, não existe aquela sensação de que são robôs andando para frente sem olhar para os lados. Os veículos não ficam de fora e contam com animações muito realistas, que levantam poeira e neve do mapa quando atiram e se movimentam. Dá para “sentir” o peso e a fluidez de movimento dos veículos.

Gráficos e animações são pontos fortes do jogo

Gráficos e animações são muito bem feitas

Agora, o quesito onde a série realmente brilha e também é o forte de The Western Front Armies, é a jogabilidade, que é extremamente equilibrada, divertida e tática. Apesar de não ser um “simulador” ou realista, como de Men of War, The Western Front Armies é muito mais focado na tática de batalha do que a maioria dos outros títulos de RTS. Apesar de poder construir base, o jogo conta com sistemas como blindagens de tank, que recebem mais dano quando são atingidos pelas costas, soldados ficam com medo de metralhadoras pesadas e unidades tem habilidades especiais. Sendo assim, mesmo na desvantagem numérica, você pode derrotar seus inimigos sendo melhor na tática de batalha e não apenas “mandando tudo para frente”.

Jogabilidade é o melhor ponto do jogo

Jogabilidade é o ponto forte do jogo

O legal é que, diferente de outros RTS, cada exército tem um jeito de jogar completamente diferente do outro, com uma metodologia de construção de base e compra de unidades única. Por exemplo, os russos podem comprar soldados da base inicial, já os alemães do leste precisam construir uma barraca, já os americanos começam com a barraca pronta e assim sucessivamente. Os 2 novos exércitos de The Western Front Armies contam com uma jogabilidade completamente diferente da apresentada pelos 2 exércitos padrões de Company of Heroes II. Isso é muito legal, pois cada potência não adiciona apenas unidades novas, mas sim modos novos de olhar e jogar o jogo.

Estatísticas pós-batalhas são bem detalhadas e gratificantes

Estatísticas pós-batalhas são bem detalhadas e gratificantes

Outro ponto forte do jogo são os matchmakings e as estatísticas pós-batalha. Com apenas alguns cliques o jogo já encontra partidas 4×4 para você mostrar suas habilidades online. Caso queira procurar, o jogo introduziu também uma nova lista de servidores para você poder escolher qual sala entrar manualmente. Depois que vencer sua partida online, é possível ver todas as estatísticas de combate, construção e recursos da partida. Para concluir, assim como no Company of Heroes 2, é possível assistir o replay da partida para estudar o que deu certo e o que deu errado.

Bla bla

Sons são poderosa ferramenta de imersão

Os sons também são muito bem feitos e envolventes. O estouro da artilharia e o zunido das metralhadoras automáticas são inesquecíveis e irão colocar você dentro da batalha. A voz dos soldados também sempre foi um dos pontos fortes da série e ficou marcada pela clássica voz do soldado alemão, que chegou a narrar também outros jogos da Segunda Guerra Mundial devido ao sucesso na série.

Conclusão:

The Western Front Armies é uma excelente expansão para Company of Heroes II, porém, não é um jogo tão completo para quem não tem o principal, já que ele não possui missões especiais e nem uma campanha Singleplayer. Portanto, se seu foco é o multiplayer, pode comprá-lo sem medo, já que The Western Front Armies é um dos melhores lançamentos da série e um dos mais disputados jogos de RTS da atualidade.

Pontos positivos:

  • Bela interface e gráficos excelentes.
  • Novos exércitos adicionam mais do que novas unidades, oferecendo maneiras completamente novas de construir bases e comprar unidades / upgrades.
  • Jogabilidade focada na tática de combate e muito balanceada.
  • Ótimo sistema para encontrar partidas multiplayer e estatísticas.
  • Sons envolventes de alta qualidade.

Pontos negativos:

  • Não possui campanha singleplayer nem missões especiais Coop.
  • Não é muito realista para os entusiastas de simulação.

 Nota final: 9.0

Caso tenha gostado da matéria, compartilhe com seus amigos clicando abaixo:



Fundador do site Games de Guerra e viciado em jogos de guerra desde 1996


Valem seu clique:


Deixe seu comentário:

  • O que é o Games de Guerra?

    Blog especializado em jogos de guerra para PC. Aqui você vai encontrar matérias, dicas e downloads de jogos conhecidos e desconhecidos do gênero.



  • Acompanhe o GDG

    • Discord
    • Facebook
    • Youtube

  •